Estive lendo: O morro dos ventos uivantes


Outra cor melhor para essa capa?
  • Como esse livro ficou conhecido: uma maravilhosa história de amor; uma belíssima jornada romântica onde o tão conhecido casal Heathcliff e Catherine mostram como uma paixão pode ser tão profunda a ponto de superar a morte.

  • Como realmente é: uma história que se trata de ódio e loucura. Uma vontade imensa de vingança que prejudica somente pessoas inocentes; os limites que alguém pode ultrapassar por causa de algo que chama de amor.

Li essa obra somente porque queria participar esse mês do Círculo do Livro. Mas acho que teria deixado as reuniões para outra ocasião se o livro já não habitasse a minha estante. Justamente por causa dessa imagem que o seu nome passa, a vontade e expectativas que eu tinha não eram maiores que zero. Cadê a vontade de ler sobre uma incrível história de amor? Fico feliz por ela ter estado longe, porque senão teria quebrado a cara dolorosamente. O que teria sido decepção foi uma ótima surpresa.

Sim, há um casal que se ama loucamente, formado por Heathcliff e Catherine. Somente por questões de diferenças de classes sociais, os dois são impedidos de ficarem juntos. A dor desse fato, somado por todas as coisas que foi obrigado a sofrer quando mais jovem por aqueles que impediram a concretização do seu grande amor, leva Heacthcliff a fazer de tudo para deles se vingar. Só que suas ações são quase sem objetivo nenhum (além de massagear o ego), pois afeta praticamente só aqueles que nada tem a ver com seus problemas.

Amor romântico? Há pouco dele aqui para mim. Pode ter existido, mas foi substituído. Heathcliff até deve tê-la amado, mas o que eu vi foi um sentimento incrivelmente forte de obsessão pela garota e por vingança àqueles considerados culpados. 

Emily Brontë
E eu não consegui, de jeito nenhum, simpatizar com esse casal. A menina era um ser tao egoísta e metido, o garoto tão irritante e odiável! Queria que eles se explodissem e fossem para o inferno, viver lá a paixão infeliz e arrebatadora que tanto clamavam sentir um pelo outro. E eles não são os únicos personagens odiáveis; Hindley era um ciumento horrorso, Linton um menino nojento e desprezível. Com certeza o fato da narração da história ter sido feita por Ellen acaba influenciando um pouco; mas mesmo se tivesse sido vista de fora, tenho certeza de que as minhas opiniões por eles todos, devido às suas ações e falas, teriam sido as mesmas.

Mas isso lá é defeito? De jeito nenhum! Esse desgosto todo por alguns personagens era para existir, ou então a história não andava. Que, repito, não é sobre amor. Você vê os planos vingativos de Heathcliff darem tão certo que o ódio que ele sente pelo mundo tomarem conta de você; uma raiva incrível eu sentia por causa das pessoas abaixando a cabeça para o cara e seguindo direitinho o roteiro que ele tinha planejado. E também se apavora com as coisas que o mesmo é capaz de fazer por causa de "amor". Não consigo entender como é possível leitores se afeiçoarem (ou até se apaixonarem) pelo personagem, por mais difícil e horrível que tenha sido a sua infância. Não justifica suas ações. Eu tenho é muito medo dele.

A narração de Brontë, própria da época, é bastante rebuscada e até me entediou de vez em quando, mas a vontade de saber como tudo iria se desenrolar, se aconteceria algo realmente feliz com aquelas pessoas, era bem mais forte. Terminei de ler bem mais rapidamente do que tinha planejado. "O perfume" é incrível, mas a obra de Emily é melhor ainda; adorei odiar aqueles personagens e sentir pena dos inocentes, e de visitar o lugar de fato misantrópico daquela região montanhosa. Histórias assim, que me fazem emocionar e entrar nela com muito amor, mas não me trazem nem um pouco de vontade de vivê-las, são sempre bem-vindas. 

Hum, aquela capa horrível não foi culpa da editora Lua de Papel...
O problema dessa capa não é atrair fãs de Crepúsculo para ler um clássico - isso é ótimo, na verdade. Mas sim em fazer uma propaganda enganosa. Tanto quem gosta da série de Meyer como quem não gosta acha que "O morro dos ventos uivantes" é parecido com a história dos vampiros brilhantes, o que não é. Não poderia ser mais diferente. E fica triste ver esse livro sendo comprado aos montes, mas com tantos abandonos.

Postagens mais visitadas