Andei assistindo: Doctor Who (2005) - 4ª temporada


Donnaaaaaaaaaa...!!!

O final dessa temporada me deixou com algum tipo de depressão e acho que vou dar um ou dois dias antes de continuar a assistir o seriado. Ai, Donna, como, porque eles tiveram coragem de fazer isso com você? Mixed feelings total em relação ao final dela, foi triste demais e ela não merecia isso. Mas ao mesmo tempo foi bom por ter sido diferente e muito inesperado.

Mas o pior mesmo é ver como ela é ignorada! Ela fez tanta coisa com o Doutor, para mim merece muito mais destaque do que tem. Não houve melhor companheira durante essas quatro temporadas, e eu realmente não acho que Amy ou River ou qualquer outra conseguirá me conquistar tanto quanto Donna Noble.


Essa temporada foi com certeza a minha favorita, todos os episódios foram excelentes. O que eu menos gostei foi "Midnight", mas só por causa do ritmo que terminou sendo repetitivo demais (e também porque Donna ficou ausente...). A ideia dele é ótima: apesar de termos uma criatura alien o principal vilão foi os próprios humanos, que revelaram sua pior parte quando expostos a uma situação crítica impossível de fugir. Me lembrou muito o enredo de "O senhor das moscas", e me deixou com mais vontade ainda de ler esse livro.

Falando em livros, já tenho na minha lista de leituras futuras vários de Agatha Christie por causa dessa temporada. A começar pela fantástica season premiere, "Partners in crime". Para quem não sabe, esse é o título de uma das obras dessa autora. E esse episódio, além de ter uma história bem intrigante e interessante, nos apresentou aos adipose! Dava vontade de morrer de tanta fofura que elas emanavam! Ah, fiz muito errado em ter enrolado tanto por causa daquele especial de natal horrível.

O episódio "The unicorn and the wasp", está na lista de favoritos junto com "Turn left" e o duplo de Moffat. A atriz Fenella Woolgar é muito parecida com Dama Christie  e fez um ótimo trabalho. A investigação que ela lidera com o Doutor e Donna tem elementos de vários livros da escritora e ainda "explica" um curioso evento de sua vida. Dos easter eggs das obras, eu só identifiquei mesmo o relógio quebrado de "Assassinato no expresso oriente", mas tem muitos outros; no Wikipedia há uma lista com eles. Não sei se vou ler todos, mas "O assassinato de Roger Ackroyd" - que a dona da mansão estava relendo - e "Morte nas nuvens" - aquele que o Doutor tem guardado - já estão definitivamente programados, junto com "Sócios no crime".

Eu gostei muito da season finale, principalmente por ter chamado todo o pessoal de volta. Senti tanta falta da Jackie, do Jack, da Sarah Jane, do Mickey! Não da Rose mas, nessa temporada, ela finalmente fez uma boa participação. Da Martha também não, porém foi por ela ter já ter aparecido no duplo "The Sontaran stratagem"/"The poison sky" (episódio sufocante, por sinal - tipo, eu já não gostava de carro) e "The Doctor's daughter" (quero a Jenny de volta, sim?).

Só que houveram coisas que me incomodaram. Começando pelos daleks, já estou farta deles. Nunca mesmo achei que fosse dizer isso, mas estou começando a achá-los estupidamente irritantes, até as suas vozes que eu tanto amava - se bem que foi ótimo ouvi-los falar em alemão. E que motivo mais estúpido arrumaram para a crise da vez! Destruir a realidade é algo muito improdutivo, na minha opinião.

E há também o Doutor parte humano, alguém que eu gostei muito, na verdade, mas ao mesmo tempo odiei a sua criação. Foi como se ele tivesse sido criado unicamente para ser par da Rose no universo paralelo. Ao mesmo tempo que ele pensa do mesmo jeito que sua cópia original e tem suas memórias, ele não é o Doutor. Não consigo acreditar que ela, que tanto amadureceu naquele universo paralelo mas nunca conseguiu superar o amor que sentia pelo senhor do tempo, aceitou seu novo par. Ah, por favor!

Se bem que isso não importa muito quando nós nos viramos para Donna. A minha nobre filha de Londres, depois de tudo o que viveu, tudo o que viu, tudo o que fez, termina a aventura sem poder se lembrar de nada disso. Gente, isso me deixou triste demais, acho que eu teria preferido que ela tivesse morrido mesmo. Teria sido mais digno. Ela tinha crescido tanto...! Pelo menos ela tem o seu avô. Uma ótima pessoa, impossível mesmo não se apaixonar por ele. É o melhor parente que uma companheira do Doutor poderia ter.

Enfim, acho que parei por aqui. A quarta temporada foi mesmo incrível, justamente como me falaram. Mesmo que ainda tenha mais um especial de natal e alguns episódios extras, já estou sentindo muita falta do David Tennant. O trabalho dele foi excelente, e eu não consigo olhá-lo sem pensar no Doutor. Sempre terei akward moment feelings quando assistir Harry Potter e o Cálice de Fogo!

Você NÃO é só mais uma empregada de Chissik, Donna.
Pena que nunca vai saber o porquê...



Postagens mais visitadas